Hoje, cada vez mais, as corridas de ciclismo são vencidas na descida (Olá Froome), então, aprender a descer é mais importante que nunca.

1 – Use os drops

Além de reduzir o arrasto aerodinâmico e aumentar a velocidade, andar na parte de baixo do guidão transfere mais peso para o pneu dianteiro, o que ajuda a evitar as incontroláveis escorregadas na frente. 

Além disso, a posição mais rebaixada do tronco deixa o centro de gravidade mais baixo, melhorando a estabilidade da magrela. Para completar, você estará na melhor posição para acionar os freios com força em caso de emergência.

2 – Olhe para o lugar certo

Tente olhar mais para a frente na estrada, procurando sempre encontrar obstáculos que possam estar no caminho. Além disso, sempre olhe para onde você quer ir. Isso quer dizer que nunca devemos fixar a visão no gard-rail, para fora da pista, em buracos, etc. Lembre-se: seu corpo tente a ir para onde você está olhando.

3 – Não fique segurando os freios

Como regra geral, tome cuidado para não ficar segurando os freios por muito tempo, já que isso pode super-aquecer as rodas. Com isso, além do risco de delaminar aros de carbono, o calor ainda pode fazer com que a pressão interna aumente muito, fazendo o pneu explodir. Se a descida for muito inclinada, vale a pena descer devagar para não gerar muito calor.

Outra dica é revesar o acionamento dos manetes, apertando cada por por apenas alguns segundos. Em casos extremos como dias de calor forte ou ciclistas muito pesados, a única solução pode ser parar momentaneamente para as rodas esfriarem.

4 – Fique baixo

Antes de entrar em uma curva, gire o pedal que ficará pelo lado de fora para baixo e apoie seu peso nele. Mantenha o corpo “flutuando” levemente acima do selim e o tronco o mais baixo possível. Nunca apoie o peso sobre o selim, já que isso coloca o centro de gravidade no lugar mais alto da bike. 

5 – Entre “no flow”

Assim como nas trilhas, encontrar o ritmo da descida aumenta e muito a segurança. Por isso, procure uma velocidade que não seja muito elevada e tente integrar-se com a estrada, fazendo movimentos suaves, freando com tranquilidade e contornando as curvas de forma relaxada.

6 – Na Chuva?

Pneus finos, alta pressão e piso escorregadio são a receita certa para o desastre. Por isso, ande devagar na chuva. Tome muito cuidado com faixas pintadas no asfalto, tampas de bueiro ou outras superfícies que escorregam quando molhadas. Lembre-se também que a distância de frenagem aumenta bastante.

Ref: Gustavo Figueiredo, 2017, “9 dicas para descer melhor no ciclismo de estrada”, portal Pedal

Espreite a última edição da nossa revista

Há mais de 50 páginas que ainda não conhece - clique abaixo