Respirar de forma inadequada faz com que exista um declínio do bom funcionamento do organismo durante o esforço no pedal. Quando isso ocorre, há prejuízo do desempenho, visto que as células utilizam o oxigénio para produzir energia e realizar a contração muscular. Não há uma técnica propriamente dita sobre como respirar corretamente, mas existem dicas que podem ajudar a melhorar o aproveitamento do oxigénio durante a pedalada. Seguindo um artigo de Ricardo Hirsch, treinador e diretor técnico da Personal Life Assessoria Esportiva, publicado na VO2, Janeiro de 2015, temos:

Ritmo e volume O ciclo da respiração começa ao inspirarmos oxigénio e termina ao exalarmos gás carbónico. Quando ele não é completo, o gás carbónico fica retido e se torna prejudicial ao metabolismo. Por isso, a respiração deve ser ritmada e não acelerar demais a ponto de ficar ofegante e não conseguir esvaziar os pulmões como deveria. Se ficar ofegante, controle a respiração e ajuste a cadência de pedaladas. Isso ajudará a manter os batimentos cardíacos mais estáveis e encontrar o volume de ar ideal para o seu ritmo.

Respirar pela boca ou pelo nariz? A respiração pelo nariz é a mais recomendada, pois ele funciona como filtro de impurezas, além de aquecer e umidificar o ar que entra no organismo. A quantidade de oxigénio aspirada pelo nariz, no entanto, pode não ser suficiente dependendo da intensidade do pedal, o que torna necessária a respiração pela boca. Assim, essa decisão se torna muito particular, de acordo com a forma mais confortável para cada um. A única recomendação é expirar mais ar do que foi inspirado, pois o acúmulo no pulmão pode causar desconforto. Tente cadenciar a respiração, inspirando uma vez e expirando duas.

Postura na “bike” Ao pedalar sentado na bicicleta, quanto mais à frente estiver o tronco, menor será a amplitude de movimento dos músculos envolvidos na respiração (abdominais, diafragma e intercostais). Em alguns casos, a projeção excessiva à frente pode inclusive comprimir as vias aéreas, dificultando o fluxo de ar. Outro fator que também pode comprometer a respiração é utilizar um guidão muito pequeno, cuja largura seja inferior à distância entre os ombros, o que causa a compressão da caixa torácica.

Espreite a última edição da nossa revista

Há mais de 50 páginas que ainda não conhece - clique abaixo